Planejar a primeira viagem para a Europa foi um dos momentos mais marcantes na minha vida como viajante. Era a realização de um sonho antigo, que por anos pareceu impossível. Mas quando começou a se tornar realidade, foi difícil a principio gerenciar as expectativas do sonho com a realidade dos detalhes práticos. Desde então, já voltei diversas vezes, mas essa primeira viagem foi especial.

A viagem aconteceu meio por acaso… recebi uma promoção relâmpago de passagens aéreas no meu email, liguei para o namorado (que é agora marido) e ele não podia ir. Passei alguns minutos com o telefone ainda na mão, pensando no que deveria fazer: era aproveitar e ir ver a Paris que povoou meus sonhos por tantos anos ou ficar depois me lamentando por não ter ido. Escolhi a primeira opção. Coloquei nervosamente os números do cartão de crédito e quando me dei conta, já estava com a reserva no meu email.

Tinha apenas alguns dias para resolver tudo  e viajei muito antes de colocar o pé no avião… eu podia sentir o gosto do crepe no Trocadero, imaginava as luzes da Torre Eiffel e sonhava acordada em ver as obras de Monet. Pensava constantemente em como seria andar sem rumo pela cidade e vivi neste estado de estar quase lá, sem nunca ter estado. A internet, parceira crucial para colocar todo o meu roteiro em ordem. Como iria sozinha, era muito importante estar preparada para emergências. E mais importante, com a documentação adequada para que meu sonho não se transformasse num pesadelo.

Cheguei em Paris em uma manhã chuvosa de primavera com um livro de frases em francês. Oui, Merci, Pardon e muita vontade de desbravar esse mundo novo. Eu planejei sim, mas deixei uma boa dose de espaço para as coisas acontecerem livremente, ou o que aqui chamam de ” Serendipity“.  As poucas horas de sono no avião e o fuso horário eram fichinha perto do meu encantamento de ver a cidade pela primeira vez. Resolvi que andaria ate os pés nao aguentarem mais e quando avistei a Torre Eiffel pela primeira vez enquanto caminhava pelas margens do Rio Sena, foi quando finalmente consegui acreditar que eu estava ali, em Paris, na França.

como planejar viagem para europa

Vendo a Torre Eiffel pela 1a vez as margens do Rio Sena

Visitei todos os pontos turísticos: Dos Champs Elysees ao picnic no Campo de Marte. Da subida na Torre Eiffel para ver o por do sol e o anoitecer a um entardecer nas escadarias de Sacre Couer. Da Monalisa no Louvre as Ninfeias do Monet, do Palacio de Versalhes ao Jardim de Luxemburgo.. nem as fotos, nem os vídeos, nem as descrições detalhadas me prepararam para estar lá, curtindo tudo aquilo ao vivo.

Meu roteiro ainda incluiu Barcelona na Espanha, Roma, Florença e Pisa na Itália. Foram duas semanas transformando em realidade todas as horas passadas planejando em frente ao computador e lendo guias de turismo. Desde então já voltei a Europa em diversas ocasiões, mas esta teve um sabor muito especial, de descoberta do velho mundo, que pra mim era novinho em folha.

E nesta série de posts sobre a Europa, vou compartilhar com vocês algumas dicas, recomendações e histórias pessoais. Das informações úteis atualizadas aos sentimentos que ainda eram anotados no caderninho. Tirem o passaporte da gaveta e se preparem para revisitar a Europa comigo!

Para começar, algumas informações úteis do que é preciso antes de chegar lá:A primeira coisa é decidir para onde vai, quando vai e por quanto tempo. Comece pela data de chegada e partida e depois então pense no durante. Resista à vontade de separar 1 dia pra cada país e transformar sua viagem numa maratona.

Uma decisão muito importante neste ponto é decidir como você fará os pagamentos da sua viagem. Isso porque alguns cartões de crédito oferecem alguns benefícios exclusivos, mas eles só estarão disponíveis se você comprar sua passagem aérea com o cartão. Alguns cartões como o  Visa Platinum e Visa Infinite por exemplo, tem uma série de outras vantagens para os viajantes que compram passagens com seus cartões. Dentre elas:

  • Certificado Schengen – este certificado é uma cobertura de despesas médicas em viagens a Europa com valor mínimo de € 30.000 para garantir assistência médica por doença ou acidente para você e sua família.
  • Seguro de acidentes em viagem– Protege em caso de morte ou lesão acidental ocorrida enquanto estavam sob a responsabilidade de uma transportadora comercial devidamente licenciada para transportar passageiros por terra, água ou ar.
  • Seguro – Locação de Veículos – cobre até o valor integral do reparo ou substituição do veículo em caso de danos resultantes de colisão ou furto do veículo e atos de vandalismo contra o carro.

Com isso decidido compre a passagem aérea, que deve ter no máximo 90 dias entre chegada e partida. Se for ficar mais tempo, você precisa ter uma boa razão (estudar, por exemplo).

Leve em consideração que na maior parte dos países europeus, viajantes brasileiros não precisam de visto, mas isso não garante a entrada no país. Há um processo de imigração na entrada, então fique atento aos procedimentos gerais e as peculiaridades de cada país.

É importante saber que os países europeus que fazem parte do Tratado de Schengen compartilham as fronteiras. E o que isso quer dizer é que se na mesma viagem você for visitar vários países europeus, vai fazer imigração no país de entrada e quando for aos outros não precisará passar pela imigração novamente. Mas a Inglaterra, por exemplo, não faz parte dele e você precisa fazer imigração na entrada do país novamente, mesmo que já tenho feito em outro local.

Comece a separar ou fazer pedidos dos documentos necessários e faca as reservas de hotel ou albergue.

planejar sua viagem para europa

Champs Elysee

Aqui a lista resumida do que você precisa para entrar na Europa:

* Passagem de Ida e Volta com no máximo 90 dias – Parece óbvio, mas pra muita gente não é. 90 dias é o prazo máximo que você pode ficar e se sua passagem tem duração maior leve documentação comprovando o motivo.

* Seguro de Saúde – Para entrar na Europa é obrigatório um seguro de saúde, de no mínimo $30.000 que cubra suas despesas médicas, se houverem, enquanto viaja pela Europa. O “Certificado de Schengen” é o nome dado a esta cobertura. Como falei anteriormente, se você é cliente de cartões compre a passagem com cartão e você terá entre outras vantagens,o direito ao “Certificado de Schengen“. O procedimento é muito simples, basta ligar para a operadora do seu  cartão e em até 7 dias você receberá o certificado para apresentar na hora da imigração.

* Reserva de Hospedagem se você vai ficar em Hotel/Albergue ou uma carta-convite se você vai ficar na casa de algum parente ou amigo. É importante imprimir as reservas do hotel ou Albergue para apresentar na imigração, ou no caso de ficar hospedado com amigos ou parentes, fazer a solicitação da carta convite que tem peculiaridades dependendo do país de entrada.

* Comprovação de Renda Suficiente para se manter pelo tempo que você estiver na Europa. O cálculo fica entre $50 e $60 euros por dia. Leve uma pequena parte em dinheiro pelo menos para os primeiros dias. Travelers Checks ou um bom cartão de crédito, se possível com a fatura dizendo qual o seu limite também é recomendado.

Os itens dessa lista podem ser solicitados ou não pelo agente da imigração, mas recomendo que você tenha toda a documentação disponível.

Depois de cuidar desses detalhes, é só esperar a hora de arrumar a mala!

Por Claudia Beatriz

Gostou desse artigo? Continue recebendo nossos posts, dicas e e-books gratuitos!

Coloque seu e-mail abaixo e entre para nossa lista VIP!

Fique tranquilo seus dados estão 100% seguros e somos totalmente contra Spam.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta