Desde que se mudou para Cingapura, a publicitária e nômade digital Clarissa Ferreira vem inventando maneiras de transformar seus “freelas” em um projeto empreendedor completo e sustentável, que a possibilite viver e trabalhar de qualquer lugar do mundo.

Há quase três anos, ela, que já era roteirista e videografista, começou a editar seus próprios vídeos de viagem para dar origem à websérie “A Culpa é do Fuso“. O que começou como um laboratório de edição e storytelling acabou se tornando um projeto completo, com site, blog e uma comunidade de viajantes que acompanhavam suas histórias.

viajante ajuda nômades digitais a contarem suas histórias
como ser um nômade digital

Créditos: Arquivo pessoal

Clarissa Ferreira trabalha como videomaker freelancer e é co-fundadora da ONG “Through the Lenses”

Desde a estreia da webserie, Clarissa recebia com frequência e-mails de pessoas que também viajavam com câmeras a tiracolo e compartilhavam a paixão por vídeos e fotografia, mas que na volta pra casa não tinham tempo ou conhecimento para transformar tantas imagens em uma lembrança bacana da aventura.

Foi aí que surgiu a ideia de um novo projeto! Por que não usar a experiência como roteirista e editora para ajudar viajantes pelo mundo a contarem a suas histórias? Clarissa disponibilizou o serviço, que é inteiramente online, no seu site há dois meses e desde então já recebeu muitas encomendas.

Os viajantes enviam seus vídeos gravados via wetransfer e ela os transforma em uma recordação para a vida toda.

A plataforma já ajudou a contar histórias de viagens incríveis, como uma escalada ao Annapurna, no Nepal, um trekking no Monte Fuji, no Japão, uma competição de motocross em Bali e até uma expedição à Antártica.

como ser um nômade digital
viajante ajuda nômades digitais a contarem suas histórias

“É muito gostoso poder acompanhar a viagem de tanta gente inspirada e cheia de energia para encarar essas aventuras. Poder transformar imagens que estavam esquecidas em um computador qualquer em uma história com início, meio e fim é muito especial. Como storyteller apaixonada que sou, sinto que todos devem ter a oportunidade de guardar as lembranças de suas viagens com muito carinho. Um dia, todos nós vamos querer compartilhar essas lembranças com nossos filhos e netos!”, conta  Clarissa

Os serviços de edição de vídeo também estão disponíveis para blogueiros de viagem e pequenas empresas, mas viajantes independentes formam a grande maioria dos clientes.

Você vai gostar também:

7 Vantagens de ser um Nômade Digital

Trabalhos que um Nômade Digital pode fazer

Profissões que você pode viver trabalhando e viajando o mundo ao mesmo tempo

Gostou desse artigo? Continue recebendo nossos posts, dicas e e-books gratuitos!

Coloque seu e-mail abaixo e entre para nossa lista VIP!

Fique tranquilo seus dados estão 100% seguros e somos totalmente contra Spam.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta